O município da Serra teve o primeiro caso de febre amarela confirmado, segundo a Secretaria de Estado de Saúde (Sesa). O boletim sobre as notificações da doença foi publicado nesta terça-feira (7).

Procurada pela reportagem, a assessoria da Prefeitura da Serra não soube informar se o morador está internado, nem mesmo idade, profissão ou bairro em que mora.

A Sesa, por sua vez, disse que o caso é de contaminação silvestre, já que o morador da Serra esteve em área de mata, e que o caso continua sob investigação para determinar onde ele contraiu a doença.

O número de mortes por febre amarela subiu para 20 no Espírito Santo. Até segunda-feira (06), a Sesa recebeu 260 notificações de suspeita da doença. Trinta notificações foram descartadas. Do total, 80 foram confirmadas para febre amarela silvestre, sendo que 20 evoluíram para óbito – Muniz Freire (03), Colatina (03), Ibatiba (02), Irupi (02), Itarana (02), Brejetuba (02), Laranja da Terra (01), Pancas (01), São Roque do Canaã (01), Afonso Cláudio (01), Conceição do Castelo (01) e Aracruz (01).

Os 80 casos confirmados são de moradores de Ibatiba (17), Colatina (14), Brejetuba (07), Baixo Guandu (04), Conceição do Castelo (04) Afonso Cláudio  (04), Muniz Freire (04), Laranja da Terra (04), Castelo (03), Itarana (03), Itaguaçu (02), Pancas (02), São Roque do Canaã (02), Irupi (02), Iúna (01), Marilândia (01), Cachoeiro de Itapemirim (01), Fundão (01), Ibiraçu (01), Aracruz (01), Serra (01) e Ibitirama (01).

MORTE DE MACACOS

No fim de fevereiro, a Prefeitura da Serra confirmou que dois macacos foram encontrados mortos em janeiro com febre amarela foram localizados em Serra Sede e Nova Almeida. A secretária de Saúde, Andréia Passamani Corteletti, afirmou que os dois macacos confirmados com febre amarela foram achados na rua.