Mais de 500 policiais militares começaram a ser transferidos ontem para outras unidades da PM no Estado. As mudanças fazem parte da reestruturação da corporação com a criação de novas companhias e batalhões que começam a funcionar nesta sexta-feira (10).

A maior parte dos militares que estão sendo movimentados fazia parte de uma tropa de elite que foi extinta, a Rotam (Ronda Tática Ostensiva Motorizada), foco da resistência do movimento grevista. A equipe foi partilhada entre as novas companhias criadas para atuar em Vitória (Jardim Camburi), Serra (Feu Rosa) e Vila Velha (Jabaeté).

Mas há também policiais do antigo Batalhão de Missões Especiais (BME), transformado em companhia independente e que teve sua tropa reduzida.

As novas companhias vão somar esforços com batalhões que já existem nesses municípios para reforçar o policiamento nos bairros, segundo informou o secretário de Estado da Segurança Pública, André Garcia, ao anunciar a reestruturação.

Na ocasião Garcia também informou que as três novas companhias independentes terão, ao todo, 695 militares, para 74 bairros e localidades. E que elas absorverão a força que já atua na estrutura das unidades em que serão instaladas.

Em Vitória, a recém criada 12ª Companhia Independente será comandada pelo capitão Carlos Magno Oliveira Silva, em Jardim Camburi. Já a 13ª Companhia, em Jabaeté, Vila Velha, ficará sob a responsabilidade do major Márcio Vieira Hollanda. Por último a da Serra, em Feu rosa, que 14ª Companhia Independente, que terá como comandante o major Maximiliano Werneck de Souza.

Já o comando da Cimesp passará a ser do major Marcelo Tavares de Souza. Outra companhia especial é a de Operações com Cães, que ficará no Quartel do Comando Geral, em Maruípe, e terá como comandante o capitão Rafael Sant’Anna Reis.

Também foram feitas mudanças no interior do Estado, com a criação de dois novos comandos de policiamento ostensivo. Um deles ficará na região Noroeste, sob a responsabilidade do tenente-coronel Marcelos Gonçalves de Assis. Vai englobar o 2º, 8º e 11º batalhões, totalizando 21 municípios.

Já o Comando de Polícia Ostensiva Serrano ficará responsável pelo 14º Batalhão, 2ª, 6ª, e 8ª Companhia Independentes, num total de 18 municípios, sob a responsabilidade do tenente-coronel Arilson Marcelo Martinelli.

Ontem também foi publicada a exoneração do tenente-coronel Alexandre Quintino Moreira do cargo de comandante de Polícia Ostensiva Sul. Ele responde a um Conselho de Justificação – processo administrativo demissionário – e a um inquérito policial militar (IPM) por estimular o movimento grevista. A função passa a ser ocupada pelo tenente-coronel Alessandro Marin.

BME muda de nome no Facebook

A página no Facebook do extinto Batalhão de Missões Especiais (BME) da Polícia Militar do Estado agora figura o novo nome: Companhia Independente de Missões Especiais (Cimesp). A mudança foi feita na tarde de ontem e já apresentava a nova marca da equipe.

Com a mudança a tropa também perdeu equipe, passando de 340 para 260 homens e se transformou em uma companhia independente, – portanto, com status inferior. Sua nova sede será em Jardim América, Cariacica, onde estava sediada a Rotam. Antes funcionava em Vitória, ao lado do quartel da corporação.

Por trás da reestruturação da tropa de elite estão os focos de resistência grevista. Alguns dos militares que nela atuavam se mantiveram aquartelados durante a greve.

Em entrevista concedida ao anunciar a reestruturação, o secretário de Estado da Segurança, André Garcia, destacou que o treinamento desses policiais especiais será mantido. “Quando se tem uma unidade menor, dando um controle melhor, uma estrutura melhor, respeitando a importância de cada uma dos nossos policiais, estamos indo por um caminho mais correto de policiamento”, frisou.

Conciliação na Justiça será dia 16

A Justiça estadual marcou para o próximo dia 16, às 14 horas, uma audiência de conciliação entre todos os envolvidos no movimento que resultou na greve dos policiais militares e que durou 22 dias. O juiz Mário da Silva Nunes Neto, da 3ª Vara da Fazenda Pública Estadual (MPE), atendeu ao pedido do Ministério Público Estadual, proposto na última segunda-feira.

Foram intimados para a audiência representantes do Comitê Permanente de Negociação do Estado, a Procuradoria Geral do Estado (PGE), da Associação de Cabos e Soldados (ACS), da Associação de Subtenentes e Sargentos da Polícia e Bombeiros Militares (Asses), da Associação de Bombeiros Militares (ABMES), da Associação dos Oficiais Militares (Assomes), da Associação dos Militares da Reserva (Aspomires).

Já os amigos e familiares dos militares estaduais responsáveis pelos piquetes em frente aos batalhões e companhias da PM, vão ser convocados por edital.